sábado, 30 de junho de 2012

São Paulo volta a vencer após saída de Leão

O São Paulo venceu o Cruzeiro, até então líder do campeonato, por 3x2 em jogo muito disputado.

As duas primeiras chances foram da equipe mineira, depois Jadson perdeu o gol dentro da pequena área.

5 minutos depois, Douglas fez boa jogada pela direita, cruzou rasteiro para área, o zagueiro do Cruzeiro Rafael Donato falhou feio e Luís Fabiano chutou de primeira. 1x0 São Paulo.
 
Dois minutos depois Rafael Donato se redimiu e empatou marcando de cabeça. 
Zaga do São Paulo continua errando muito, principalmente nas jogadas aéreas.
 
Aos 15 minutos Lucas pegou a sobra de uma dividida de Luis Fabiano, deu um belo corte na defesa e chutou cruzado para colocar São Paulo em vantagem novamente.

A atuação do juiz Marcelo de Lima foi lamentável; o pau comeu no primeiro tempo inteiro mas o juiz não aplicou nenhum cartão. Fabinho do Cruzeiro teve que ser substituído após levar pancada de João Felipe, o São Paulo também perdeu um jogador, Rodolpho que voltou a sentir a coxa.

Logo aos 3 minutos do segundo tempo Jadson ampliou para o São Paulo. 
Aos 8 em novo cruzamento Rafael Donato sozinho marcou para o Cruzeiro.

O São Paulo teve a chance de matar o jogo aos 18 minutos, Lucas sofreu pênalti que Luis Fabiano bateu no canto direito (como sempre) e Fábio defendeu. 
 
Até o fim do jogo o Cruzeiro tentou explorar o ponto fraco do São Paulo, cruzando várias vezes para a área, mas não obteve mais sucesso.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 3 SÃO PAULO

CRUZEIRO: Fábio, Léo, Victorino, Rafael Donato e Everton; Leandro Guerreiro, Charles (Wallyson - 11'/2ºT), Tinga (Willian Magrão - 34'/2ºT) e Montillo; Fabinho (Souza - 31'/1ºT) e Wellington Paulista. Técnico: Celso Roth.

SÃO PAULO: Denis, João Filipe, Rhodolfo (Paulo Miranda - 38'/1ºT) e Edson Silva; Douglas, Denilson, Maicon, Jadson (Cícero - 21'/2ºT) e Cortez; Lucas (Casemiro - 36'/2ºT) e Luis Fabiano. Técnico: Milton Cruz

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Rodrigo Pereira Joia
Cartões amarelos: Denilson, Luis Fabiano, Douglas e Denis (SPO); Weelington Paulista e Willian Magrão (CRU)
GOLS: Luis Fabiano, 11'/1ºT (0-1); Rafael Donato, 13'/1ºT (1-1); Lucas, 15'/1ºT (1-2); Jadson, 3'/2ºT (1-3); Rafael Donato, 8'/2ºT (2-3)

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Boca 1 x 1 Corinthians

No primeiro tempo, Emerson Sheik, Alex, Paulinho tiveram chances de deixar o Timão em vantagem, mas faltou tranquilidade para definir

Santiago Silva até tentou de bicicleta aos 32 minutos, mas a bola resvalou em Alessandro.

Paulinho criou a melhor chance, aos 7 minutos do segundo tempo, em chute de longa distância, defendido pelo goleiro Orión.

Após cobrança de escanteio, Santiago Silva cabeceou dentro da área, Chicão tentou cortar com a mão, mas a bola sobrou para Roncaglia, quase debaixo da trave. Ele empurrou e fez 1 a 0.
Romarinho recebeu de Emerson Sheik dentro da área e, com um toque tirou do goleiro.
Na quarta-feira que vem, no Pacaembu, qualquer empate leva para prorrogação, já que não existe mais critério de gols fora de casa.
 
Corinthians precisa de uma vitória contra o Boca que já venceu Santos e Palmeiras no Brasil conquistando o título

FICHA TÉCNICA:
BOCA JUNIORS (ARG) 1 X 1 CORINTHIANS

BOCA JUNIORS: Orión; Roncaglia, Schiavi, Caruzzo e Clemente Rodríguez; Somoza, Ledesma (Rivero, 36'/2ºT), Erviti e Riquelme; Mouche (Cvitanich - 42'/2ºT) e Santiago Silva (Viatri - 39'/2ºT). Técnico: Julio Cesar Falcioni

CORINTHIANS: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo (Romarinho - 38'/2º); Jorge Henrique (Liedson - 38'/1ºT) e Emerson Sheik. Técnico: Tite

Árbitro: Enrico Ósses (CHI) Assistentes: Francisco Mondria e Carlos Astroza (CHI)
Cartões amarelos: Roncaglia, Riquelme
GOLS: Roncaglia (28'2°T) e Romarinho (40'/2ºT)

Jogo espanhol cae, mas seleção chega a final

 
Portugal mostrou ser o rival mais complicado para a Espanha nesta Eurocopa.
Sem conseguir se aproximar muito da área, os espanhóis não conseguiram criar jogada alguma que levasse perigo ao goleiro Rui Patrício.

Portugal, quando conseguia tomar a bola, saía em velocidade para tentar surpreender a defesa espanhola. Nani e Cristiano Ronaldo desciam pelas pontas, dando muito trabalho a Sergio Ramos e Jordi Alba.
As finalizações portuguesas foram todas para fora, mas foi o time luso que chutou mais a gol e esteve mais perto de tirar o zero no placar durante os 90 minutos.
Na prorrogação a Espanha ganhou o domínio do jogo. Jogou em alto ritmo, marcando em cima durante os 90 minutos e esgotou os jogadores portugueses.

A Espanha teve a sua melhor chance na partida, quando em um chute bisonho de Navas, que não saiu. Pedro recolheu a bola, deu dois chapéus sobre João Pereira e passou para Iniesta, quase na pequena área, finalizar. Rui Patrício executou o seu milagre, impedindo o gol certo.

Os espanhóis começaram mal a disputa de pênaltis, pois Rui Patrício defendeu o arremate de Xabi Alonso. Porém João Moutinho também foi parado por Casillas e Bruno Alves mandou a bola no travessão, na quarta série. Cristiano Ronaldo sequer teve chance de bater a última cobrança portuguesa, pois Fàbregas converteu a dele. A bola ainda tocou na trave antes de morrer nas redes.
FICHA TÉCNICA
PORTUGAL (2) 0 X 0 (4) ESPANHA
PORTUGAL: Rui Patrício, Fábio Coentrão, Bruno Alves, Pepe e João Pereira; Raul Meireles (Varela 6'/2ºP), Miguel Veloso (Custódio 1'/2ºP) e João Moutinho; Nani, Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida (Nelson Oliveira 36'/2ºT) - Técnico: Paulo Bento.

ESPANHA: Casillas, Sergio Ramos, Piqué, Arbeloa e Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso, Xavi (Pedro 42'/2ºT) e Iniesta; David Silva (Navas 15'/2ºT) e Negredo (Fàbregas 9'/2ºT) - Técnico: Vicente Del Bosque.

Árbitro: Cüneyt Çakir (TUR) Auxiliares: Bahattin Duran (TUR) e Tarik Ongun (TUR)
Cartões amarelos: Fábio Coentrão, Pepe, João Pereira, Bruno Alves e Miguel Veloso (POR); Sergio Ramos, Busquets, Arbeloa e Xabi Alonso (ESP)
Pênaltis: Pepe e Nani converteram, João Moutinho e Bruno Alves perderam (POR); Iniesta, Piqué, Sergio Ramos e Fàbregas converteram, Xabi Alonso perdeu (ESP)


quarta-feira, 27 de junho de 2012

Libertadores 2012 - Final

 
BOCA JUNIORS
O Caminho: PRIMEIRA FASE
0x0 Zamora - 1 x2 Fluminense - 2x1 Arsenal Sarandí
2x0 Arsenal Sarandí - 2x0 Fluminense - 2x0 Zamora

OITAVAS: 2x0 Unios Española - 3x2 (jogo de volta)
QUARTAS: 1x0 Fluminense - 1x1 (jogo de volta)
SEMI: 2X0 Universidad de Chile - 0X0 (jogo de volta)
CORINTHIANS
O Caminho: PRIMEIRA FASE
1X1 Deportivo Táchira - 2x0 Nacional - 0x0 Cruz Azul
1X0 Cruz Azul - 3x1 Nacional - 6x0 Deportivo Táchira

OITAVAS: 0x0 Emelec - 3x0 (jogo de volta)
QUARTAS: 0x0 Vasxo - 1x0 (jogo de volta)
SEMI: 1x0 Santos - 1x1 (jogo de volta)
O primeiro jogo da decisão é hoje. O Corinthians tenta seu primeiro título enquanto Boca tenta vencer uma competição após perder o campeonato nacional.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Por que sempre eu?

O atacante italiano Mario Balotelli sofre de tabloidismo. Diagnóstico fácil. Difícil é conhecer a causa, como observou o colega Daniele De Rossi, capitão da seleção da Itália: "Não sei se os tabloides são maus demais com o Mario ou se ele dá demais de comer a eles".
Os dois. Seu jeito rebelde e extravagante - nos campos, nas boates ou nos carrões - o torna um prato cheio para os fofoqueiros.
[...] Depois que trocou a Inter de Milão pelo Manchester City, da Inglaterra, dois anos atrás, a coisa desandou de vez. Lá, onde gostam tanto de xeretar a vida privada alheia quanto de uma boa Guinness, vira e mexe listam "as maiores encrencas de Balotelli".
Balotelli acende fogos de artifício no banheiro e quase incendeia sua mansão de £3 milhões (R$ 9,6 milhões). Balotelli lança dardos nos juvenis do City e, questionado por que cazzo fez aquilo, diz que "estava entendiado". Balotelli tem sua Maserati guinchada pela 27ª vez, por estacionar em local proibido. Balotelli sai no braço com cinco leões de chácara e é expulso de um inferninho por infringir as regras da casa: "tocou" numa dançarina quando podia somente pendurar-lhe dinheiro na tanga. Balotelli passa a noite num casino, abiscoita 28 mil euros (R$ 72 mil) e, na saída, da mil euros para um mendigo. Balotelli é parado numa blitz e o guarda quer saber por que ele carrega £5 mil em cash espalhados no banco do passageiro: "Porque eu posso. Sou rico"
Balotelli se define: "Quando decido marcar um gol vou lá e marco. Eu sou um gênio. E os gênios são tão diferentes que as pessoas não os compreendem".
E também sofre preconceito. Onde quer que vá, das arquibancadas lhe jogam bananas - aconteceu agora mesmo na Euro. Gritam-lhe "preto bastardo", "volte para a Àfrica". Imitam macacos. Estendem faixas onde se lê que "não existem italianos negros". Filho de imigrantes ganeses e nascido em Palermo, Balotelli é o primeiro jogador não branco a defender a seleção da Itália. É italiano de nascimento e papel passado, porque ao atingir a maioridade, podendo optar entre sangue ou terra, escolheu a cidadania da família de Brescia que o criou desde os dois anos, depois de ser abandonado pelos pais biológicos. "Sou italiano, negro e orgulhoso de minhas raízes africanas. Não tolero racismo. É incrível que ainda aconteça em 2012. Eu vou para a cadeia, porque ainda mato um", já disse.
[...] Em 2008, quando se tornou um jogador de sucesso na Inter, seus pais biológicos reapareceram para dizer que a história do abandono não era bem assim. Thomas e Rose Barwuah, contaram que Mario, caçula de quatro irmãos, nascera com um problema de formação no intestino e precisou ficar dois anos no hospital. Ali, uma assistente social os convenceu a entregá-lo a Silvia e Francesco Balotelli, um casal humilde, com três filhos, mas em melhores condições de cuidar do menino. Balotelli deu de bico: "Por 16 anos eu não recebi nem um telefonema no dia do meu aniversário. Agora eles choram na TV e pedem o meu amor. pra mim, são dois estranhos. Esses pedidos tardios e oportunistas não serão atendidos, porque se eu não tivesse me tornado Mario Balotelli continuaria não importando aos senhores. Barwuah.

Christian Carvalho Cruz  - 'Por que sempre eu?'
O Estado de S.Paulo - domingo 24 de junho de 2012
Caderno Aliás - pg 1

domingo, 24 de junho de 2012

Campeonato Brasileiro - Resultados 6ª rodada


Nos pênaltis Itália avança

As duas esquipes tiveram poucas chances de marcar; a Itália teve duas bolas na trave; a primeira no chute de De Rossi e a segunda no chute de Diamanti no golpe de vista errado do goleiro inglês Hart.
Já a Inglaterra teve uma chance com Johnson, que obrigou Buffon a fazer uma defesa espetacular.

A Inglaterra esteve perto da vaga quando Montolivo perdeu um pênalti.
 
Mas depois Young perdeu chutando no travessão e Buffon defendeu a cobrança de Cole. 4x2 Itália
 
FICHA TÉCNICA
INGLATERRA 0 (2) x (4) 0 ITÁLIA
INGLATERRA: Hart, Johnson, Terry, Lescott e Ashley Cole; Gerrard, Parker (Henderson 3'/1ºP), Milner (Walcott 15'/2ºT) e Young; Rooney e Welbeck (Carroll 15'/2ºT) - Técnico: Roy Hodgson.

ITÁLIA: Buffon, Abate (Maggio 46'/2ºT), Barzagli, Bonucci e Balzaretti; Pirlo, Marchisio, Montolivo e De Rossi (Nocerino 34'/2ºT); Balotelli e Cassano (Diamanti 33'/2ºT) - Técnico: Cesare Prandelli.

Árbitro: Pedro Proença (POR) Auxiliares: Bertino Miranda (POR) e Ricardo Santos (POR)
Cartões amarelos: Barzagli (ITA), Maggio (ITA)

Espanha joga o necessário e bate a França por 2x0


Com um jogo de paciência e controlando o adversário durante boa parte dos 90 minutos, a Espanha derrotou a França por 2 a 0, em Donetsk, e garantiu vaga na semifinal da Eurocopa 2012. O adversário da Fúria será Portugal, que eliminou a República Tcheca na última quinta-feira.
A seleção espanhola também coloca um ponto final de nunca ter vencido os gauleses em competições oficiais.


Na primeira vez que explorou o lado esquerdo, a Espanha encontrou o caminho do gol: Jordi Alba insistiu, ganhou da marcação e centrou para a área. Xabi Alonso apareceu como elemento surpresa e pegou Lloris no contrapé. O volante do Real Madrid completou a partida de número 100 pela seleção, portanto, nada melhor do que a circunstância.

Quase sem sofrer perigo, a Fúria, novamente sem um 9 de referência na área, foi administrando o resultando. Sempre que pôde prendeu a bola na frente para não dar chance ao azar. O adversário limitou-se apenas a uma cobrança de falta de Cabaye defendida por Casillas.

Os Bleus criaram um pouco mais de coragem durante a segunda etapa. Não havia escolha. Ou arriscavam algo novo ou continuariam triturados pelo jogo envolvente da Espanha. Num minuto apenas, a seleção roja chegou a trocar mais de 50 passes.

FICHA TÉCNICA:
ESPANHA 2 X 0 FRANÇA
Local: Dombass Arena, em Donetsk (UCR)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
ESPANHA: Casillas; Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso, Xavi, Iniesta (Cazorla, 38'/2ºT) e David Silva (Pedro, 21'/2ºT); Fàbregas (Fernando Torres, 21'/2ºT). Técnico: Vicente Del Bosque.
FRANÇA: Lloris; Debuchy, Rami, Koscielny e Clichy; Debuchy (Menez, 20'/2ºT), M'Vila (Giroud, 33'/2ºT), Cabaye e Malouda (Nasri, 18'/2ºT); Ribéry e Benzema. Técnico: Laurent Blanc.


Fonte: LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Espanha-controla-Franca-avanca-semifinal_0_724127677.html#ixzz1yk2Bj3WP
© 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Alemanha continua jogando bem e vai para a semi final

O técnico Joachim Löw surpreendeu a todos. Trocou todo o trio ofensivo alemão: tirou Müller, Podolski e Gómez; e colocou Schürrle, Reus e Klose. As mudanças ficaram claras nos primeiros minutos; a equipe  tinha mais a bola, os volantes Khedira e Schweinsteiger, subiam sempre.

Mas quem marcou primeiro foi o lateral Lahm; atacou cortando para dentro e acertou lindo chute.
No segundo tempo aos nove minutos; Salpingides recebeu lançamento no lado direito, ganhou de Lahm e jogou na área. Samaras foi oportunista e colocou para dentro.

A Alemanha voltou a atacar e o gol saiu. Boateng cruzou na área, e Khedira acertou um chute incrível, sem qualquer chance para Sifakis.
 
Sete minutos depois; escanteio para a Alemanha, Klose subiu mais que Papadopoulos e acertou de cabeça.
No final da partida Klose ficou sozinho e chutou em cima do goleiro, Reus, pegou o rebote e chutou forte. Salpingides ainda descontou nos últimos minutos em cobrança de pênalti, após mão de Boateng.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 4x2 GRÉCIA

ALEMANHA: Neuer, Boateng, Badstuber, Hümmels e Lahm; Khedira, Schweinsteiger, Reus (Götze, 34'/2ºT), Schürrle (Müller, 21'/2ºT) e Özil; Klose (Gómez, 34'/2ºT). Técnico: Joachim Löw

GRÉCIA: Sifakis, Torosidis, Papadopoulos, Papastathopoulos e Tzavelas (Fotakis, intervalo); Maniatis, Makos (Liberopoulos, 26'/2ºT), Ninis (Gekas, intervalo) e Katsouranis; Samaras e Salpingides. Técnico: Fernando Santos
 
Árbitro: Damir Skomina (SVN) Cartões amarelos: Samaras, Papastathopoulos (GRE)
GOLS: Lahm, 38'/1ºT  (1-0);, Samaras, 9'/2ºT (1-1); Khedira, 15'/2ºT (2-1); Klose, 22'/2ºT (3-1); Reus, 29'/2ºT (4-1); Salpingides, 43'/2ºT (4-2)

quinta-feira, 21 de junho de 2012

HISTÓRICO - Corinthians chega na primeira final da Libertadores

Corinthians empata com Santos e vai a primeira final de Libertadores da sua história.
O Corinthians entrou e saiu de campo com a mesma postura tática. Todo mundo atrás do meio de campo.
Isso fazia o Santos rodar a bola, como um relógio na segunda vez que o Santos rodava a bola tentando avançar para o ataque os jogadores do Corinthians saiam para o abafa.

Isso deu certo três vezes, em três saídas de bola erradas do Santos, mas o Corinthians não conseguiu aproveitar nenhuma.

Pra sua sorte o Santos também não conseguia produzir boas jogadas, Juan matava a lateral santista e Ganso fez uma das piores partidas da sua vida.

Mesmo assim Neymar conseguiu marcar aos 34 minutos do primeiro tempo. Após Borges desviar e a bola tocar na trave o atacante só empurrou para o gol.
 
No segundo tempo Alex cobrou falta, a defesa do Santos falhou e Danilo sozinho empatou a partida.
Depois disso Corinthians fez o que está acostumado, se fechou esperando o apito.
Agora espera o vencedor de Boca Juniors x Universidad de Chile. Primeiro jogo da final na próxima quarta.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 1 X 1 SANTOS

CORINTHIANS: Cássio, Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex e Danilo; Jorge Henrique e Willian (Liedson - intervalo). Técnico: Tite

SANTOS: Rafael, Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan (Léo - 28'/2ºT); Adriano (Elano - 28'/2ºT), Arouca e Ganso; Alan Kardec, Neymar e Borges (340'/2ºT - Dimba). Técnico: Muricy Ramalho

Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS) Assistentes: Altemir Hausmann e Alessandro Rocha
GOLS: Neymar, 34'/1ºT (0-1); Danilo, 2/2ºT (1-1)

Coritiba vence e vai para a final da Copa do Brasil

No primeiro jogo da semi o Coritiba já havia sido melhor, mas não fez o gol por azar. Já o São Paulo contou com a sorte e o talento de Lucas para marcar o gol e sair na vantagem.

Na segunda partida o Coritiba continuou sendo superior e mandou em todo o jogo, dessa vez nem Lucas conseguiu salvar o tricolor.

Aos 28 minutos do primeiro tempo Emerson marcou após cobrança de escanteio.
 
Na resposta do São Paulo, Lucas invadiu a área, driblou o zagueiro mas preferiu chutar ao 
invés de tocar para Luis Fabiano que estava livre no meio da área.

No segundo tempo nada mudou, o São Paulo continuava sem produzir nada enquanto o time do Coritiba avançava.

Aos 17 minutos Everton Ribeiro ampliou para o coxa, novamente em jogada área na falha do zagueiro do São Paulo Edson Silva que deixou Everton livre.
 
Precisando de pelo menos um gol Leão mexeu no time; tirou Jadson e Casemiro e colocou Fernandinho e Maicon, e mais no fim do jogo William José no lugar de Cortez.

Mas nenhuma mudança teve efeito, Lucas ainda teve uma chance em um lance exatamente igual ao primeiro, até na conclusão foi igual Lucas preferiu chutar ao invés de cruzar.

Luis Fabiano também teve sua chance em um chute fora da área que passou muito perto do gol.
O Coritiba sempre esteve mais perto do terceiro gol, do que o São Paulo do primeiro.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 2 x 0 SÃO PAULO
CORITIBA: Vanderlei, Ayrton, Pereira, Emerson e Lucas Mendes; Willian, Sérgio Manoel, Everton Ribeiro (Rafael Silva - 33'/2ºT) e Rafinha (Lincoln - 33'/2ºT); Roberto (Gil - 27'/2ºT) e Everton Costa. Técnico: Marcelo Oliveira.

SÃO PAULO: Denis, Rodrigo Caio, Rhodolfo, Edson Silva e Cortez (Willian José - 34'/2ºT); Denilson, Casemiro (Maicon - 19'/2ºT), Cícero e Jadson (Fernandinho - 19'/2ºT); Lucas e Luis Fabiano. Técnico: Emerson Leão.

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO) Auxiliares: Carlos Berkenbrock (Fifa-SC) e Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO)
Cartões amarelos: Emerson, Lucas Mendes, Sérgio Manoel (CTA); Casemiro, Denilson, Fernandinho, Lucas, Rhodolfo (SPO)
GOLS: Emerson, 28'/1ºT (1-0); Everton Ribeiro, 17'/2ºT (2-0);

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Dia D

Corinthians x Santos 
Com a vantagem de jogar pelo empate o time de Tite tenta entrar para a história ao chegar na sua primeira final.
Já o Santos de Muricy tenta ir para segunda final consecutiva marcando pelo menos um gol, levando o jogo para os pênaltis.

Coritiba x São Paulo
No primeiro jogo o São Paulo tomou sufoco e deu sorte ao não sofrer gols, e ainda contou com talento de Lucas no fim da partida para conseguir a vantagem de jogar pelo empate a segunda partida.
Coritiba vai usar apoio da torcida para tentar a classificação

Quartas de final da Euro2012

15h45| 21/06 - Quinta-feira
República Tcheca x Portugal
15h45| 22/06 - Sexta-feira
Alemanha x Grécia
15h45| 23/06 - Sábado
Espanha x França
15h45| 24/06 - Domingo
Inglaterra x Itália

Roupa apertada

O péssimo desempenho dos clubes paulistas nesse inicio de Brasileirão aponta para uma verdade que não quer calar: nenhum clube brasileiro tem elenco para enfrentar duas competições ao mesmo tempo.
[..]E, claro também há a seleção. Vários clubes foram prejudicados pela ausência dos seus principais jogadores durante esses quatro amistosos.
A verdade é que os clubes estão sendo prejudicados e o Campeonato Brasileiro também. O sintoma foi o último San-São esvaziado, muito ruim tecnicamente e com público pífio.
Uma partida que nem Santos nem São Paulo queriam jogar. O torcedor não é burro, embora seja tratado como tal. ele dá o troco se ausentando.
É preciso então reformar o calendário para que não haja essa sobreposição de jogos, de competições diferentes e de compromissos conflitantes.
[..]Queiramos ou não, vamos ter de, um dia, alinhar nosso calendário ao europeu.
[..]Será preciso emparelhar as temporadas para que dano seja menor. Sim, há diferenças de estações climáticas, singularidades culturais e a TV é contra.
[..]Além disso, não dá pra embolar tantas competições uma em cima da outra - Campeonatos regionais, o Brasileiro, a Libertadores, a Copa do Brasil, etc.
Não há quem aguente; não existe quem tenha foco para manter o interesse em tantos objetivos divergentes, nem torcida, nem jogadores.
Poderíamos também "emagrecer" o futebol; seria a solução ideal. Menos jogos, mais tempo para treinar, atletas mais bem preparados e motivados, torcidas mais interessadas porque tudo que é raro entusiasma e tudo o que vem em excesso cansa. Mas, para ser franco, descreio da eficácia da dieta.
[...]O futebol, como outros esportes, nada mais é que um raro particular da indústria do entretenimento.
[...]A qualidade é inversamente proporcional à quantidade, mas o capital tem de girar.
Sei que é difícil, mas alguma coisa tem de ser feita.

Roupa apertada - Luiz Zanin
O Estado de S.Paulo - terça-feira, 12 de junho de 2012
Caderno de Esportes - pág E2

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Espanha confirma primeiro lugar

A seleção espanhola quase não foi atacada durante a primeira metade da partida. E sofreu muito para criar duas razoáveis chances de gols. Na primeira, Iniesta se projetou para receber na área, mas chutou fraco. Na outra, David Silva escorregou na hora do arremate final. E foi só

Aos 14 minutos da segunda etapa, quando Modric armou contragolpe pelo lado direito e colocou na cabeça de Rakitic. O gol só não saiu porque Casillas fez uma bela defesa.
 
Aos 42 minutos do segundo tempo Iniesta recebeu lançamento de Fábregas, a defesa croata fez linha de impedimento, e o meia do Barcelona ficou livre para rolar para Navas completar e enterrar a Croácia. Ufa, que sufoco!
 
FICHA TÉCNICA
CROÁCIA 0 x 1 ESPANHA

CROÁCIA: Pletikosa; Vida (Jelavic, 17'/2ºT), Corluka, Schildenfeld e Strinic; Vukojevic (Eduardo, 36'/2ºT), Rakitic, Srna, Pranjic (Perisc, 17'/2ºT) e Modric; Mandzukic; Técnico: Slaven Bilic

ESPANHA: Casillas; Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Xabi Alonso, Xavi (Negredo, 44'/2ºT) e Iniesta: David Silva (Fàbregas, 27'/2ºT) e Fernando Torres (Jesus Navas, 15'/2ºT). Técnico: Vicente Del Bosque

Árbitro: Wolfgang Stark (ALE)
Cartão Amarelo: Corluka, Srna, Strinic, Rakitic, Jelavic (CRO)
Gols: Navas, 43'/2ºT (0-1)

Itália vai para as quartas

A Itália pouco conseguia pressionar a Irlanda, mesmo precisando bastante do resultado. No começo do jogo Pirlo estava apagado perdeu a primeira bola e quase causou o gol da Irlanda. O jogo seguiu ruim até então.
 
A Irlanda atacava menos. Robbie Keane ficava solitário lá na frente, pois Duff, McGeady e Doyle não faziam conseguiam chegar.

Quando Pirlo entrou no jogo: começou a correr mais, aparecer para as jogadas e distribuir o jogo. Em um escanteio para a Itália, ele mesmo cobrou na cabeça de Cassano, que cabeceou de costas. A bola bateu no travessão, foi para dentro do gol e a zaga tirou. A Irlanda ainda alegou que não tinha entrado.

O segundo tempo começou com total domínio da Itália, As jogadas surgiram principalmente pela esquerda, com Balzaretti.
Aos 43min Balotelli recebeu cruzamento e completou com um voleio. E não comemorou. Máscara do caramba
FICHA TÉCNICA:
ITÁLIA 2X0 IRLANDA


ITÁLIA: Buffon, Abate, Chiellini (Bonucci, 11'/2ºT), Barzagli e Balzaretti; Motta, Marchisio, De Rossi e Pirlo; Cassano (Diamanti, 17'/2ºT) e Di Natale (Balotelli, 29'/2ºT). Técnico: Cesare Prandelli

IRLANDA: Given, O'Shea, St Ledger, Dunne e Ward,; Whelan, McGeady (Long, 19'/2ºT), Andrews, Duff; Doyle (Walters, 30'/2ºT) e Keane (Cox, 41'/2ºT). Técnico: Giovani Trapattoni

Árbitro: Cüney Cakir (TUR) Auxiliares: Bahattin Duran (TUR) e Tarik Ongun (TUR)
Cartões amarelos: Balzaretti, De Rossi, Buffon (ITA), Andrews, O'Shea, St. Ledger, Andrews (IRL)
Cartões vermelhos: Andrews, 43'/2ºT (IRL)
GOLS: Cassano, 35'/1ºT (1-0); Balotelli, 43'2/ºT (2-0)

Alemanha faz "treino de luxo" e se classifica na liderança.

Alemanha "treina" e faz o suficiente para vencer a Dinamarca em jogo morto, sendo assim, ditando o ritmo de jogo, pois só tragédia enorme tiraria os germânicos da Euro 2012, o time se poupou a partida toda, mesmo assim aproveitando as limitações da Dinamarca teve chances de marcar desde o inicio, até que após um passe do Super Mario, Podolski colocou a Alemanha na frente.

A Dinamarca em um dos seus poucos momentos criativos na partida, após passe de cabeça de Bendtner, Krohn-Dehli marcou, deixando tudo igual e no momento dando a classificação para os dinamarqueses.

                                

No segundo tempo o ritmo cai mais ainda, Alemanha e Dinamarca pareciam bem conformadas com o empate, o jogo se encaminhava para um fim melancólico, Portugal marcou o segundo gol na Holanda, sendo que assim um gol dinamarquês eliminava os germânicos, assim Alemanha foi para o jogo, num passe genial de Özil, Lars apareceu de elemento surpresa e tirou do arqueiro Andersen garantindo a classificação Alemã com 100% de aproveitamento.


FICHA TÉCNICADINAMARCA 1x2 ALEMANHA
Local: Arena Lviv, Lviv (UCR)

Árbitro: Carlos Velasco Carballo (ESP)
Auxiliares: Roberto Alonso Fernández (ESP)  e Juan Carlos Yuste Jiménez (ESP)
DINAMARCA: Andersen, Jacobsen, Kjaer, Agger e S.Poulsen; J.Poulsen (Mikkelsen 36'/2ºT), Kvist e Zmiling (C. Poulsen - 33'/2ºT); Eriksen, Krohn-Dehli e Bendtner Técnico: Morten Olsen
ALEMANHA: Neuer, Bender, Hummels, Badstuber e Lahm; Khedira, Schweinsteiger; Müller (Kroos - 39'/2ºT), Özil e Podolski (Schürrle - 18'/2ºT); Gomez (Klose - 28'/2ºT) Técnico: Joachim Löw


Fonte: LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/ritmo-treino-Alemanha-mantem-aproveitamento_0_720528012.html#ixzz1y7c4k59T
© 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 



CR7 faz dois e Portugal se classifica.

A grande potência do Grupo da Morte da Eurocopa ficou fora das quartas de final. A Holanda sofreu neste domingo com a "estreia" de Cristiano Ronaldo, que fez os gols na vitória por 2 a 1, em Kharkiv. Foi a terceira derrota da Laranja Mecânica na competição e pela primeira vez sai sem nenhum ponto em participações na Euro.


Holanda dominava as ações da partida, o "reclamão" Van der Vaart e Huntelaar foram escalados desde o início, e ele mesmo Van der Vaart abriu o marcador. A laranja mecânica(de preto) ainda precisava de uma mãozinha Alemã para a sua classificação.


Portugal não sentiu o gol tomado e foi pro jogo, aproveitando os espaços deixado pela fraca defesa holandesa, foi assim que Nani fez bela jogada com João Pereira que deixou Cristiano Ronaldo cara a cara com Stekelenburg e não perdoou. Nesse momento o jogo acabou para Holanda, onde Portugal criava chances e a Holanda assistia, sem poder ofensivo com Van Persie, Robben e Huntelaar pouco aparecendo, Van der Vaart foi o melhor jogador da laranja.






No segundo tempo Portugal ainda aproveitando os espaços deixado pela defesa holandesa, num contra ataque Nani achou CR7 que teve a tranquilidade de tirar o marcador num drible seco e deixa-lo no chão e tirar do goleirão matando a partida e selando a classificação Portuguesa que agora pega a Republica Tcheca nas quartas.



FICHA TÉCNICA
PORTUGAL 2X1 HOLANDA
Local: Metalist Stadium, Kharkiv (UCR)
Árbitro: Nicola Rizzoli (ITA)
PORTUGAL: Rui Patrício, João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Miguel Veloso, Raul Meireles (Custódio, 26'/2ºT) e João Moutinho; Nani (Rolando, 41'/2ºT), Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga (Nélson Oliveira, 18'/2ºT). Técnico: Paulo Bento
HOLANDA: Stekelenburg, Van der Wiel, Mathijsen, Vlaar e Willems (Afellay, 22'/2ºT); N. de Jong, Sneijder e Van der Vaart; Robben, Huntelaar e Van Persie. Técnico: Bert van Marwijk


Fonte: LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Ronaldo-estreia-Portugal-vence-Holanda_0_720528017.html#ixzz1y7XT8dS0
© 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE! 
 

sábado, 16 de junho de 2012

Grécia surpreende e avança para as quartas

 
A Rússia começou o jogo lenta, enquanto os gregos pareciam estar a 100km/h. Karagounis e Samaras tiveram chances de abrir o placar.

Com 9 minutos a Rússica melhorou muito no meio de campo, mal deixando os gregos jogarem  Dzagoev e Arshavin desarmavam os meias adversários com muita facilidade, iniciando inúmeras jogadas.
No entanto, o excesso de capricho atrapalhou. As tentativas de tabelinhas, jogadas de efeito e toques de letra não resultaram em gol.
 
A única jogada grega era Samaras. O atacante jogando pelo lado esquerdo, conseguiu algumas boas chances, como no cruzamento na direção de Gekas.
Mesmo assim, os russos dominaram a primeira etapa, forçando o erro do adversário a todo momento.

O único gol saiu de um erro russo. Ignashevich se enrola ao receber bola da lateral, é desarmado por Karagounis, que avança e chuta entre as pernas de Malafeev para abrir o placar.
Com um envolvente toque de bola, a Rússia chegou ao gol grego com poucas dificuldades, mas, novamente, o excesso de preciosismo atrapalhou.
No fim, lamentos da Rússia e alegria da Grécia.

FICHA TÉCNICA
GRÉCIA 1x0 RÚSSIA

GRÉCIA: Sifakis, Torosidis, Sokratis, Papadopoulos e Tzavelas; Maniatis, Karagounis (Makos - 21'/2ºT) e Katsouranis; Salpingidis (Ninis - 38'/2ºT), Samaras e Gekas  Técnico: Fernando Santos

RÚSSIA: Malafeev, Anyukov (Izmailov - 36'/2ºT), A.Berezutski e Ignasevich; Zhirkov; Shirokov, Denisov e Glushakov (Pogrebnyak - 26'/2ºT); Dzagoev, Kerzhakov (Pavlyuchenko - intervalo) e Arshavin Técnico: Dick Advocaat

Árbitro: Jonas Eriksson (SUE) Auxiliares: Stefan Wittberg (SUE) e Mathias Klasenius (SUE)
Cartões amarelos: Karagounis (GRE); Zhirkov, Dzagoev (RUS)
GOLS: Karagounis (47'/1ºT)

Fonte LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/Grecia-revive-espirito-elimina-Russia_0_719928060.html#ixzz1y0SqJXUI

República Tcheca vence e passa em primeiro no grupo

 
A Polônia partiu para um jogo agressivo. Logo com dois minutos, Dudka acertou a rede de Cech, pelo lado de fora, em tentativa de bicicleta. Atacando com velocidade, os poloneses iam levando muito perigo ao gol tcheco. Lewandowski e Blaszczykowski tiveram chances claras de marcar e não o fizeram.

Aos poucos, o meio de campo tcheco foi conseguindo reter a bola. Mas nada de gol

Na segundo tempo a República Tcheca dominou o jogo. Os poloneses não conseguiram criar qualquer jogada de ataque. Sivok teve a melhor chance de marcar para os tchecos, em cabeçada na pequena área que Tyton fez uma grande defesa.
A dupla Blaszczykowski e Lewandowski ficou desaparecida no segundo tempo, e a defesa polonesa fazia várias faltas próximas à área.
O gol era questão de tempo e chegou em um erro polonês. Murawski errou o passe, Baros puxou o contra-ataque e rolou para Jiracek. O meia teve calma para tirar o defensor e bater no canto esquerdo de Tyton.
FICHA TÉCNICA
REPÚBLICA TCHECA 1x0 POLÔNIA

REP. TCHECA: Cech, Selassie, Sivok, Kadlec e Limbersky; Hubschman, Plasil, Jiracek (Rajtoral, 38'/2ºT), Kolar e Pilar (Rezek, 43'/2ºT); Baros (Pekhart, 45'/2ºT) - Técnico: Michal Bilek.

POLÔNIA: Tyton, Piszczek, Wasilewski, Perquis e Boenisch; Dudka, Polanski (Grosicki, 10'/2ºT), Blaszczykowski, Murawski (Mierzejewski, 27'/2ºT) e Obraniak (Brozek, 27'/2ºT); Lewandowski - Técnico: Franciszek Smuda.

Árbitro: Craig Thomson (ESC) Auxiliares: Alasdair Ross (ESC) e Derek Rose (ESC)
Cartões amarelos: Limbersky, Plasil (RTC); Murawski, Polanski, Wasilewski, Blaszczykowski, Perquis (POL)
GOLS: Jiracek, 26'/2ºT (1-0)

Campeonato Brasileiro 5ª Rodada


Eurocopa 3ª rodada grupo A


No jogo das reviravoltas Inglaterra bate a Suécia


Em jogo que rivaliza com Portugal x Dinamarca como o mais emocionante desta Eurocopa, Inglaterra e Suécia deram um show de raça e determinação. No fim, vitória dos ingleses por 3 a 2 após duas viradas - uma de cada lado.
Em uma batalha que teve quase de tudo, a diferença acabou sendo o banco inglês: Walcott entrou no lugar de Milner quando os suecos venciam por 2 a 1, marcou o gol de empate e deu o passe para Welbeck marcar o tento da virada.

No primeiro tempo tranquilo, Inglaterra mandando no jogo abriu placar o Carroll, já no segundo tempo a partida esquenta, Suécia muda de postura e vai pra cima dos Ingleses, logo aos 3 minutos, quando Ibrahimovic aproveitou rebote de sua própria falta  e mandou a bola pra área com Melberg aproveitando e chutando para o gol, Hart ainda faz a defesa mas a bola bate em Johnson e entra.
Com o empate a Inglaterra foi pra cima, deixando muito espaço, assim que num contra-ataque, Martin Olsson sofreu falta e na cobrança Melberg de cabeça virou a partida.
Walcoot entra e muda a cara do jogo, com 2 minutos em campo após cruzamento na área, a bola sobra pra ele que bate, a bola engana o goleiro e o empate Inglês.  Minutos depois Walcoot mais uma vez, vai pra cima da marcação vai a linha de fundo e cruza para Welbeck de calcanhar virar a partida e decretar a vitória da English Team.

FICHA TÉCNICA
SUÉCIA 2x3 INGLATERRA
Local: Donbass Arena, em Donetsk (UCR)
Árbitro: Damir Skomina (SLO)
Auxiliares: Primož Arhar (SLO) e Matej Žunič (SLO)

SUÉCIA: Isaksson, Granqvist (Lustig, 21'/2ºT), Mellberg, J. Olsson e M. Olsson; Elm (Wilhelmsson, 35'/2ºT), Kallstrom, Larsson e Svensson; Elmander (Rosenberg, 34'/2ºT); Ibrahimovic Técnico: Erik Hamren
INGLATERRA: Hart, Johnson, Terry, Lescott e Ashley Cole; Parker, Gerrard, Milner (Walcott, 15'/2ºT) e Young; Carroll e Welbeck (Oxlade-Chamberlain, 44'/2ºT) Técnico: Roy Hodgson


Fonte: LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/reviravoltas-Inglaterra-vence-elimina-Suecia_0_719328192.html#ixzz1xyB3462O 
© 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!   

França bate a Ucrânia pelo grupo D

Em um jogo paralisado pela chuva de Donetsk por quase uma hora - logo aos quatro minutos do primeiro tempo, a dona da casa Ucrânia não resistiu à superioridade do adversário e sucumbiu à França, por 2 a 0, nesta sexta-feira, na Donbass Arena.




Ménez recebeu lindo passe de Benzema, limpou Selin e abriu o placar.


Após outro passe de Benzema Cabaye chutou no contrapé de Pyatov

FICHA TÉCNICA
UCRÂNIA 0 X 2 FRANÇA
Local: Donbass Arena, em Donetsk (UCR)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Auxiliares: Sander van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL)


UCRÂNIA: Pyatov, Gusev, Mikhalik, Khacheridi e Selin; Tymoshchuk, Voronin (Devic - Intervalo), Yarmolenko (Aliyev 22'/2ºT), Konoplyanka e Nazarenko (Milevskiy 15'/2ºT); Shevchenko - Técnico: Oleg Blokhin.
FRANÇA: Lloris, Debuchy, Rami, Mexès e Clichy; Cabaye (M'Vila 23'/2ºT), Diarra e Nasri; Ménez (Martin 27'/2ºT), Ribéry e Benzema (Giroud 30'/2ºT) - Técnico: Laurent Blanc.


Fonte LANCENET! http://www.lancenet.com.br/minuto/paralisacao-Franca-derrota-Ucrania-embola_0_719328137.html#ixzz1xxi06RME
© 1997-2012 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!